quinta-feira, 15 de maio de 2008

Sócrates, o cigarro e o exemplo

O primeiro-ministro fumou três cigarros - pelas contas que se conseguem fazer das notícias - na viagem para a Venezuela, num voo fretado onde em regra se pode fumar.
Perante a publicidade aos seus cigarros fumados, José Sócrates pede desculpa, diz que não sabia que não se podia fumar e promete que vai deixar de fumar. Porque tem de dar o exemplo.

Já não sei o que é pior. Ter-se transformado em notícia três cigarros fumados pelo primeiro-ministro. Ou o primeiro-ministro ter prometido que vai deixar de fumar.

Mais uma vez sublinho que não estamos numa espécie de Lei Seca do tabaco - embora isto já se aproxime desse tempo dos Estados Unidos, só que agora com o tabaco.

E o que é isso do primeiro-ministro dar o "exemplo"? O que espero de um primeiro-ministro é que governe bem o país. Não preciso de um primeiro-ministro que me dê "exemplos".

Querer pessoas perfeitas no poder é como reivindicar "reis Sol". É passar atestados de menoridade aos cidadãos, é dizer que são incapazes de conviver com protagonistas do poder que dão imagens humanas, com defeitos e qualidades, aquilo que toda a gente é. Quem lidera um Governo, numa democracia, é um de nós em nosso lugar.

A falta de tradição democrática revela-se nestes pequenos pormenores, nestes 'chinfrins' porque o primeiro-ministro fuma... Uma tristeza.

4 comentários:

Nuno disse...

Uma não noticia que fez a página do 24 horas e também a do....Público! Surpreendente ou talvez nem por isso dada a deriva populista e tablóide do Público. A espuma dos dias desta vez ocupa até constitucionalistas, que se prestam a estes fretes em vez de porem os jornalistas no seu devido lugar o que,na minha opinião, só lhes reduz a credibilidade da próxima vez que abrirem a boca.
Penso que o "exemplo" se refere concretamente ao cumprimento das leis.

Anónimo disse...

Curioso tanta gente ter achado notícia uma não notícia. Até o próprio Sócrates o reconheceu.

Anónimo disse...

Eu acho que Sócrates quer dar o exemplo acho isso muito positivo, quer dizer que se preocupa com o povo, (muitas pessoas começam a fumar porque acham um luxo e vêm os "outros" fazê-lo) já que prometeu espero k cumpra rapidamente para mostrar que vai cumprir as promessas eleitorais que podem demorar mais tempo que o simples gesto de deixar de fumar...

Ricardo disse...

Eu compreendo as críticas da Helena à lei do tabaco e compreendo que sinta que ela constitui uma ingerência excessiva do estado na sua vida.

Não compreendo a sua defesa de Sócrates que foi precisamente quem aprovou esta lei e que como primeiro-ministro escolhe fumar dentro de um avião não porque a desconhece mas porque acha que está acima da lei.

Somando este episódio ao caso da Licenciatura e ao caso das assinaturas de favor apetece perguntar : quantas mais leis desrepeita o nosso primeiro-ministro ? Será que paga os mesmos impostos que nos faz pagar a nós ?