terça-feira, 27 de maio de 2008

A raiva... nos combustíveis

A Galp aumentou de novo o preço da gasolina e do gasóleo.
Em Londres assistimos à contestação das transportadoras rodoviárias.

Em Espanha os pescadores estão no segundo dia consecutivo de paragem, em França vamos na segunda semana.
O presidente francês, que avançou com ajudas de 110 milhões de euros, sugeriu a suspensão do IVA sobre os combustíveis. O governo espanhol diz-se atento à proposta francesa.
Em Portugal, o ministro Manuel Pinho, pede à Comissão que apresente medidas concretas ao nível europeu para enfrentar o problema a curto prazo. Comissão que já se mostrou contrária à ideia de Sarkozy

A situação complica-se na Europa. A velocidade a que se está a dar a subida do petróleo pode mesmo requerer medidas de emergência. O tema já não é se se baixa ou não o ISP.

Os combustíveis podem acender a raiva acumulada com a subida do peço dos alimentos, com a incerteza no emprego, com o aumento das taxas de juro... A classe média europeia está a ser submetida a demasiadas pressões.

1 comentário:

Ricardo disse...

Que a classe média está sujeita a demasiadas pressões há demasiado tempo só não é óbvio para quem não é da classe média.

Em geral, gosto muito de ler o que a Helena escreve, mas confesso que tenho uma enorme dificuldade em compreender como é possível ter começado o dia a defender a manutenção de mais um imposto asfixiante e ter acabado o mesmo dia a defender medidas de emergência no sentido de reduzir a asfixia.

Suspeito que a Helena partilha esta esquizofrenia perceptual com grande parte dos nossos economistas e governantes.