quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Pânico financeiro

Parece que estamos a viver o Armagedon Financeiro.

A salvação do American International Group (AIG) - demasiado grande para falir com um bilião de dólares de responsabilidades e uma teia global - não acalmou os mercados.

A bolsa de Nova Iorque em queda com o Morgan Stanley e Goldman Sachs a afundarem vítimas da convicção de que será os próximos.

O Tesouro dos Estados Unidos teve de injectar dinheiro na Reserva Federal - tudo indica, por causa da linha de 85 mil milhões de dólares que está a garantir à seguradora AIG.

O mercado monetário norte-americano está bloqueado - as injecções de liquidez não conseguem acalmar as desconfianças que as instituições financeiras têm umas das outras, ninguém parece querer fazer negócio com ninguém.

Tempos violentamente interessantes.
Os fogos acendem-se por todo o lado.
No rescaldo é preciso pensar nos erros e retirar as devidas ilações (já existem pistas muito interessantes - neste momento não consigo partilhar - a confusão informativa também é grande).

10 comentários:

Anónimo disse...

muito bom post

Anónimo disse...

Os Bancos portugueses estão sólidos? Refiro-me aos depósitos bancários. Quem controla quem? O Banco de Portugal não informa? Porquê? O ministro Teixeira dos Santos nada diz porque nada sabe. Espero bem que sim. Ou se sabe de algum problema que se passe em alguma instituição de crédito portuguesa o seu silêncio é cúnplice de alguma eventualidade menos agradável.

Anónimo disse...

Errata: cúmplice.

Nelson Filipe Patriarca disse...

É impressão minha ou esta história de o tesouro dos EUA injectar dinheiro no banco centrla lá da zona é o mesmo que dizer, "teve de emitir mais moeda, o que vai levar a um aumento da inflação" ???

Maus tempos se avizinham e os mercados fartaram-se de dar sinais, quem os soube ouvir protegeu-se, o resto pagamos nós todos.

Anónimo disse...

Lá fora o Inferno. Cá dentro a Paz dos inocentes. Quando ouço o cromo do Pinho, até me dá vontade de chorar...

Anónimo disse...

São 01:42 h em Lisboa. Imagens de Singapura: Filas com centenas de pessoas numa filial da AIG, nesta cidade. O que se passa?18/9/2008.

jc disse...

O Tesouro americano está a ajudar o Banco Central através de emissão e venda de dívida pública, e não através de emissão de mais moeda, o que levaria a inflação a valores estrastrosféricos, mas mesmo assim está a pôr na estratosfera o défice do país, que já não era famoso.

Quanto a depósitos aqui no país ,é melhor diversificar por vários bancos, todos a 1-3 meses, e nas quantidades que o fundo garantia cobre.

Helena Garrido disse...

Caro Anónimo de Singapura,
o que se passa - a AIG foi basicamente nacionalizada. Não me parece que se justifique esse pânico neste momento - à partida as responsabilidades da AIG estão garantidas.

Helena Garrido disse...

Efeito da decisão do Tesouro de reforçar os capitais da Reserva Federal:
- a emissão de dívida retira dinheiro de quem a subsceve - neste momento até pode ser bom dada a procura de activos de baixo risco;
- a entrada desse dinheiro no banco central corresponde a criação de moeda e a sua utilização no apoio ao sistema financeiro - o dinheiro regressa para o sistema.
- com esta linha de raciocínio - a estar correcta - o efeito na inflação pode ser neutro.

Anónimo disse...

Cara Sra.Dona Helena Garrido: com o respeito que tenho por si sempre lhe digo que o tempo não está para "blagues". Estava em Lisboa e era 01.40h em Singapura. Fácil. Aliás o clima en Singapura não me agrada. Temperatura e humidade excessivas. E já agora minha senhora: Porque não poderá um Banco português falir? Com os meus cumprimentos. Dante.