quinta-feira, 18 de setembro de 2008

O que fazer com o dinheiro?

Por aqui está manifestada a preocupação com o que fazer com o dinheiro.

  1. Não me parece que valha a pena entrar em pânico - o pânico pode alimentar a crise para além do razoável.- A banca portuguesa poderá precisar de aumentos de capital. Mas para já não parece estar a perder dinheiro com o que caiu até agora. Tinha poucos activos desses.
  2. As autoridades perderam a vergonha ideológica - depois dos Estados Unidos, o símbolo do mercado, ter avançado com nacionalizações para salvar companhias da falência, os europeus já falam disso mais à vontade. Veja-se ontem Gordon Brown - afirmou que se fosse preciso avançaria com nacionalizações. Lembram-se da resistência em ajudar o NorthernRock o ano passado? Onde isso já vai.

5 comentários:

Anónimo disse...

Eu tenho que pagar umas dezenas de milhar de euros, em sede de IRS ao Estado Português até 30 de Setembro de 2008. Tenho depósitos num dos três "grandes" bancos portugueses. Espero que o cheque que passe à ordem da DGCI tenha cobertura. Seria a primeira vez que tal não aconteceria. Ou seja, para cumprir estou dependente da solvibilidade de um Banco português. Como admiro o srs.Manuel Pinho, Teixeira dos Santos e Vítor Constãncio! Sendo médico tive também que me dedicar a estudar o Samuelson e a ler jornais económicos e a ver os canais Bloomberg e CNBC. Como gostava mais do programa da sra. Dona Teresa Guilherme- TODA A VERDADE- fiquei aborrecido. Não tenho direito, definitavamente a TODA A VERDADE!

Anónimo disse...

Sou o escriba das 17.15h. Era justo que o Banco de Portugal pegasse no valor do meu IRS e reforçasse a posição do Banco do qual vou emitir o já badalado cheque que passarei para o cumprimento dos meus deveres fiscais deste País que tão generosamente me acolhe. Ou não?

Manuel disse...

O ex-homem da Goldman S... ainda quer privatizar a CGD?

Anónimo disse...

Dantes havia respeitinho e vergonha.O Senhor Professor Oliveira Salazar, convidava para almoçar alguns monetaristas da nossa Praça e explicava-lhes. Saíam de lá mais acomodados. E com uma canja da sra. Dona Maria... Não era o tempo das alavancagens. Era-se mais educado e o homem sabia daquilo. Um decorador de interiores remodelou o interior de S.Bento. É o que ficará. Cortinados, umas portas espelhadas e uma imensa saudade da probidade, inteligência, moralidade e autoridade bem colocada do Professor de Coimbra. Os mais dados a coisas de Igreja, rezem-lhe por alma.

Anónimo disse...

1-Tirar o dinheiro dos bancos e guarda-lo debaixo do colchão dos Certificados de Aforro,esquecendo por completo a sua rentabilidade.
2-Não ultrapassar os 25.000 Euros que o fundo de garantia do BP assegura( ver em que termos),em cada banco.
3-Fugir a bancos que estejam claramente a dois dedinhos da falência.
4-Fazer outras coisas mais inteligêntes e mais rentáveis,que os especialistas que visitam este blogue farão o favor de enumerar...