domingo, 15 de março de 2009

A estupidez não tem (mesmo) limites... no pão

O projecto de lei que prevê um teor máximo de sal no pão português foi aprovado, ontem, na generalidade, no Parlamento, com cinco votos contra do CDS-PP e uma abstenção do PSD, mas tudo indica que vai ser necessário limar muitas arestas quando passar à discussão na especialidade. Até porque o PS admite que é possível abrir excepções para os produtos tradicionais.
(...)
"A estupidez tem limites", reage o presidente da Associação dos Industriais de Panificação, Pastelaria e Similares do Centro, Carlos Santos, notando que 80 por cento das padarias desta região já vende pão com valores iguais ou inferiores ao estipulado no diploma.
No Público de ontem (sem link disponível).

Regulamentar o teor de sal no pão????
Não há palavras, de facto

5 comentários:

Anónimo disse...

Pode parecer estúpido regulamentar o teor de sal no pão. Mas a verdade é que quando compro o pão no supermercado é um desconsolo chegar a casa comer um bocado de pão e verificar que só sabe a sal. É o que me acontece.

Miguel Carvalho disse...

Eu também não sou fã de 50 regulações para fazer uma coisa tão simples como pão, de 500 formas de deduções no IRS (cujo custos administrativos, judiciais e receitas perdidas indevidamente devem ser bem maior que os benefícios), etc.
Mas quando o teor do sal nos alimentos portugueses é muito mais alto que a média europeia, e quando esta ingestão de sal está associada à principal causa de morte em Portugal (problemas coronários), eu não lhe chamaria "estupidez" assim tão rapidamente.

Cumps

Anónimo disse...

Não me parece tão estúpido assim.
Afinal trata-se de um problema importante de saúde pública.
De qualquer modo, até dá jeito falar do pão, para não se falar do fundamental...

Fábio disse...

Na ilha de S. Jorge provei um pão que parecia feito com água do mar. Noutras ilhas dos Açores também achei o pão demasiado salgado.

Anónimo disse...

É estúpido que seja assunto tratado e decidido num local por pessoas que do tema a maioria pouco ou nada percebe. Por pessoas que deveriam tratar de assuntos mais do seu domínio, mas isso parece que não interessa para eles e para alguns leitores. Já agora trate-se de discutir no parlamento o tamanho dos pensos para feridas a concentração do álcool, o tamanho dos palitos etc.
Isso é estupidez sim senhora, estupidez e não só.
Já agora quantos dos que testemunham o sal a mais no seu pão já o reclamaram aos fornecedores/vendedores e depois de o terem feito sem resultados trocaram de tipo de pão ou de fornecedor. Sim de tipo de pão, pois a massa não é igual em todos os pães.
(Não estou virado para outros intervenientes mas para o assunto)

Mercador