quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Um receio confirmado - juros de mercado não caem

Como ontem receei, a descida das taxas de juro por parte dos bancos centrais não foi acompanhada pela redução das taxas de mercado - pelo contrário, as taxas subiram, as Euribor e as Libor.

2 comentários:

Diogo disse...

Money as Debt – Dinheiro é Dívida

Já alguma vez pensaram porque é que os bancos têm tanto dinheiro, enquanto os países, as empresas e os indivíduos estão tão endividados?

Neste vídeo, «Money as Debt» [Dinheiro é Dívida], Paul Grignon pega num assunto tabu e, de forma inteligente e divertida, torna-o num tópico facilmente inteligível. Costuma dizer-se que a verdade liberta, mas primeiro, costuma deixar-nos zangados. Depois de conhecer a verdadeira história do sistema bancário já não é possível voltar à crença mística da banca como um elemento útil da sociedade.

O vídeo revela os mitos e os conceitos relativos à história do dinheiro. Toda a gente gosta de dinheiro, toda a gente o deseja, toda a gente precisa e depende dele. O que quase ninguém percebe são os fundamentos do dinheiro. O que é o dinheiro e donde é que ele vem? Estas são algumas das difíceis realidades que Grignon expõe em linguagem simples.

Este curto segmento (8:20m) do vídeo conta a história de um ourives do Renascimento, e de como ele começou a cobrar juros de um ouro que não possuía e que não existia. Em suma, a essência da banca.

Os primeiros oito minutos e vinte segundos (8:20m) do vídeo 'Money as Debt' - legendados em português.

Anónimo disse...

...era muito cedo para descidas - já no 11 de Setembro (e perante uma intervenção conjunta com menos impacto) as taxas de mercado demoraram tempo a reagir. A tendência será para caírem – sobretudo quando o tal problema de confiança se começar a dissipar.