sábado, 8 de maio de 2010

1700 milhões, novo corte no défice público



Diminuir o défice em 1% do PIB ao défice ( de 8,3% para 7,3%) é cortar mais cerca de 170 1700 milhões de euros.
O quadro é a contas das Administrações Públicas publicada no relatório de 2010 - versão da proposta, a outra ainda não está disponível.

A entrada em vigor do OE 2010 apenas em Maio, arrastando o congelamento de muitas medidas permitia já que se conseguissem resultados melhores que os 8,3%. Houve ainda - não sei se se fez - a possibilidade de deslocar para 2009 algums despesas e arrastar para 2010 algumas receitas. Mas estes contributos únicos podem ser insuficientes para ir até aos 7,3% sem medidas adicionais, especialmente se a economia e as taxas de juro não ajudarem.

Como as más surpresas pagam-se caro nesta conjuntura de pânico nos mercados, aguardam-nos com certeza novas medidas.
Uma ainda está na geveta - a que garante maior receita fiscal - a limitação das deduções em sede de IRS que o PSD não quer.

3 comentários:

(c) maioria silenciosa: P.A.S. disse...

Se tivéssemos juízo diminuíamos a despesa corrente com o corte do subsídio de natal e com um corte adicional de 10% em todos os ministérios! A medida das deduções fiscais avançava também rapidamente!
Mas isso era se tivéssemos juízo!

Pedro Braz Teixeira disse...

É um bocadinho mais: são 1660 milhões de euros.

Helena Garrido disse...

Tem toda a razão Pedro Braz Teixeira, falta um zero, 1700 milhões de euros arredondados - 1% de um PIB estimado implicitamente no OE 2010 de 168.132,5301milhões de eurso. Obrigada pelo alerta.