segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Os 'hedge funds' sem risco sistémico?

Não consigo perceber o que leva António Borges a dizer que os 'hedge funds' não têm risco sistémico:

“O modelo dos ‘hedge funds’ provou ser viável e não apresenta risco sistémico”, disse António Borges, na conferência organizada pelo Comité Europeu de Reguladores de Valores Mobiliários (CESR) para debater o futuro da regulação, que decorre hoje em Paris.

Em 1998 o 'Long Term Capital Management' teve de ser salvo pelas autoridades norte-americanas por causa do efeito dominó que teria na banca. Estava altamente endividado e não conseguiria pagar os seus empréstimos devido às perdas apuradas por aplicações em dívida russa.

Estava na altura a seguir a assembleia geral do FMI em Washington. Antes de se saber qual a decisão das autoridades, o ambiente era lúgubre.

Vários estudos do FMI na altura defenderam que era preciso integrar os 'hedge funds' no sistema, ou seja, era preciso supervisioná-los.

Hoje o tema volta de novo como se viu na Cimeira deste fim-de-semana em Berlim - e espero que passem finalmente a ser supervisionados porque têm de facto externalidades negativas que é preciso moderar.

É importante manter os 'hedge funds' - simplisticamente uma espécie de grupo de grandes investidores que juntam o seu dinheiro numa carteira que entregam à gestão de profissionais. Estes profissionais aplicam esses recursos e usam depois os títulos que adquirem como garantia para contrair empréstimos que por sua vez voltam a aplicar em títulos.

Mas obviamente que não pdoem funcionar, pela dimensão que alguns têm, sem regulação. Um 'hedge fund' não é propriamente um grupo de amigos que com meia dúzia de tostões aplicam as suas poupanças na bolsa.

5 comentários:

TAF disse...

Os "especialistas" continuam a não perceber a principal origem desta trapalhada toda: as práticas contabilísticas aberrantes que eram aceites quase sem contestação!

Defendo maior "fiscalização" e não maior "regulação". Deve manter-se a liberdade de poder propor (e assumir) qualquer nível de risco desde que a contabilidade seja rigorosa e prudente.

Anónimo disse...

António quem???

O novo Jesus Cristo???

Já não chega a Manela?

E por falar nisso: alguém viu por aí o Dias Loureiro???????????????????????????????????????

Anónimo disse...

DDDDIIIIIIIIIIIIIIIIAAAAAAAAAASSSSSSSSSS LOOUUURRREEEEEEEEIIIIIROOOOOOOOOOOOO !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anónimo disse...

"With Hungary in the depths of economic despair, its Roma minority has become an easy target for many people's resentments. The murder of a Roma man and his five-year-old son on Monday is the latest incident in a spiral of fear and hate."


http://www.spiegel.de/international/europe/0,1518,609669,00.html

Grupos para-militares de extrema direita.Perseguições étnicas...
A Hungria, antes de pertencer ao bloco de leste, bateu-se ao lado dos nacional-socialistas e nazis alemães.
Quem é que disse que a história não se repete?

commonsense disse...

O António Borges é mesmo assim. Só que nem toda a gente sabe...