quarta-feira, 17 de março de 2010

Exercícios saloios

Vi a parte final do Prós e Contras. Fiquei com pena de não ter acompanhado o debate desde o início especialmente quando vi Eduardo Lourenço e José Gil.

Acabei por por ficar extremamente incomodada ao ouvir o representante das novas gerações, Miguel Morgado, dizer que os amigos que tem a trabalhar no estrangeiro sentem "repugnância" por Portugal.

Nunca tal tinha ouvido, nem por cá nem por amigos ou entrevistas com quadro superiores que, por uma razão ou outra, trabalham fora de Portugal.

Começa a ser, no mínimo, desagradável, assistir a este renovado exercício nacional de saloíce e falta de mundo que se ilustram com a velha máxima "a galinha da vizinha é (sempre) melhor que a minha".

E desagradável pelo que revela de limitada sabedoria. Demasiada informação - a maioria limitada ao mundo que é mostrado nos rectângulos televisivos -, algum conhecimento e zero de sabedoria.