quarta-feira, 4 de junho de 2008

A culpa de Manuel Pinho



Sim, o ministro das Economia é um dos grandes responsáveis pela manutenção de suspeitas de cartelização no mercado de combustíveis.

Há recomendações da Autoridade da Concorrência dirigida por Abel Mateus e que datam de 2004, iguais no essencial às que foram agora feitas pelo novo presidente Manuel Sebastião.

E Manuel Pinho prepara-se para nada fazer de essencial, ficando-se pela divulgação de preços e por exigir à Galp que divulgue a estrutura de custos e proveitos da armazenagem e transporte de combustíveis. A publicitação de preços ainda percebo - a informação permite aos consumidores escolher melhor. Mas a estrutura de custos... para que serve? O que se ganha com isso? E o que se faz com essa informação?

3 comentários:

José Neto disse...

Mas a estrutura de custos... para que serve? O que se ganha com isso? E o que se faz com essa informação?

Serviu para a AdC argumentar que como as empresas estavam a operar com margens mínimas, não concluem pela cartelização. Para se explicarem melhor, calcularam o preço da gasolina em Portugal e em Espanha, antes de impostos, concluindo que esse diferencial é nulo. Ilibando as petrolíferas, o Ministro da Economia responsabilizou o Governo pelo da Gasolina, visto que 59,2% do preço da IO 95 vai para impostos (IVA + ISP).
Tens imagem e explicação mais desenvolvida aqui
http://netodays.blogspot.com/2008/06/o-diferencial-de-preos-da-gasolina.html

José Neto disse...

Sorry!
Como o endereço que indiquei acima ficou partido, indico outro mais curto:
http://tinyurl.com/5w8tj7

miguel carvalho disse...

Cara Helena,
concordo totalmente consigo, mas fugindo um pouco ao tema, não posso deixar de notar que este medo da promoção da concorrência não é deste ministro, nem deste governo, nem é de agora.
A própria Autoridade da Concorrência é uma coisa muito recente em Portugal, o que mostra que durante anos tivemos medo dessa coisa.

Serão ainda vestígios do corporativismo do Estado Novo?