terça-feira, 29 de setembro de 2009

Cavaco e Socrates - declaração de guerra


Acabou a guerrilha.
Está declarada a guerra entre dois titãs da política portuguesa.
Por causa de escutas que nunca existiram.
Cada um com a sua narrativa sobre o que aconteceu desde Agosto até agora.

E aqui a de Silva Pereira

O campo de batalha passou a ser público.
Cavaco Silva ganhou margem de manobra com a declaração que fez.
E Sócrates mostrou que vai entrar na batalha.
Assim foi a primeira batalha - em empate técnico.

Vamos ter tempos difíceis.

4 comentários:

Luis bento disse...

Ora aqui está uma análise fria e independente. Com uma crise para durar, um governo minoritário e dois órgãos de soberania desavindos...já nem vamos ter tempos...só vamos ter difíceis...

paletadesonhos disse...

não de todo um bom momento ... era necessário haver estabilidade ... é , vai doer a todos ...

oscar carvalho disse...

Sinceramente acho que Cavaco não ganhou manobra. Pelo contrário, deixou-se enredar numa trapalhada inexplicável.

Anónimo disse...

oh helena por favor. ganhou margem de manobra? com aquela mensagem? o cavaco foi uma lástima: não confirmou as escutas mas deixou a suspeição a marinar. não sei o que é que no jornal de negócios vocês têm andado a tomar...