sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Banco de Inglaterra - que diferença

Como votaram os membros do Banco de Inglaterra na decisão sobre taxas de juro durante os últimos doze meses.

A transparência que falta ao BCE.

Eis uma forte razão para os britânicos não quererem entrar no euro.

5 comentários:

MFerrer disse...

ÚLTIMA HORA:
COMUNICADO DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
21:00h, 5 de Dezembro de 2008

1 – Chegou hoje ao fim o processo de negociação das medidas tomadas pelo Governo no dia 20 de Novembro para facilitar a avaliação do desempenho dos professores.
2 – Os sindicatos, neste processo, não apresentaram qualquer alternativa ou pedido de negociação suplementar, pelo que o ME dá por concluídas as negociações, prosseguindo a aprovação dos respectivos instrumentos legais.
3 – O ME, mantendo a abertura de sempre, respondeu positivamente à vontade dos sindicatos, expressa publicamente, de realização de uma reunião sem pré-condições, isto é, sem exigência de suspensão da avaliação até aqui colocada pelos sindicatos. Foi por isso agendada uma reunião para o dia 15 de Dezembro, com agenda aberta.
4 – Os sindicatos foram informados que o ME não suspenderá a avaliação de desempenho que prossegue em todas as escolas nos termos em que tem vindo a ser desenvolvida.

Mário Nogueira é um mentiroso compulsivo e não pode ser um parceiro fiável para nada!
MFerrer

Anónimo disse...

Hoje, 5 de Dezembro, os Bancos BPI, BCP e BES perderam em bolsa respectivamente, 2,16%, 3,98% e 4,88%. Isto totaliza um valor aproximado de uma perda destas três instituições financeiras de 350 milhões de euros num único dia! Isto é alarmismo, pessimismo? Não. Estes +- 350 milhões de euros foram certamente vendidos. Para realizar mais-valias? Certamente que não. 350 milhões de euros de medo, isso sim. Até é bom que continuemos a falar dos BPNs e BPPs... Sempre distrai as atenções. 350 milhões de euros num único dia é verdadeiramente alarmante.

Anónimo disse...

Dias Loureiro para Presidente do Banco de Inglaterra.

Apoie esta causa.

Pode ser que a malta se livre finalmente do Ex-Charlot.

Que peçonha....

Luís de Sousa disse...

Desculpe-me deixar um coemntário despropositado, mas gostaria de dizer-lhe que o seu comentário quinta-feira no Jornal 2 foi de uma lucidez pouco comum nos media tradicionais. Dizer que os bancos centrais não comprenderam que o aumento dos preços do crude tinham razões físicas não relacionados com a expansão da massa monetária foi algo de extra-ordinário na nossa televisãozinha de trazer por casa. Tal nunca fora expresso na nossa TV. Grato pelo seu comentário.

commonsense disse...

Amiga Helena Garrido.
Só umas precisões.
Não de pode dizer que os britânicos não querem entrar no Euro, porque os escoceses querem, e estão mesmo a ameaçar tornar-se independentes para o conseguirem. Eu, eu sei, que queria referir-se aos ingleses. Mas quanto a esses, não é claro: os conservadores não querem, os universitários querem, a indústria também quer e a finança está dividida. A lower midle class, os leitores de tablóides e os bebedores de cerveja nos pubs não querem.
A conta final nunca foi feita.
Não obstante, acompanho-a na homenagem à transparência.